A importância da tarefa escolar

Fazer tarefa não deve ser encarado ou entendido como sobrecarga ou algum tipo de castigo ou punição.


Garoto fazendo tarefa

A batalha é uma constante. De um lado os alunos, do outro os professores. Ou ainda, os pais e os filhos. A contestação da tarefa ou dever escolar é algo que se repete, ano após ano, como se ao requisitar atividades para serem realizadas em casa, os docentes estivessem castigando seus estudantes, pedindo-lhes que façam trabalho adicional, aumentando em demasia a carga educacional sem necessidade.

A neurociência, por meio de estudos recentes, reporta que é preciso consolidar os estudos por meio de atividades variadas, como projetos, leituras, provas, pesquisas de campo e, também, por meio de tarefas. Os estudiosos desta área, inclusive, alertam para o fato de que os alunos de hoje são constantemente bombardeados por informações e dados provenientes de outras fontes e buscam isso por meio de seus celulares, tablets e computadores, para se manterem atualizados sobre o que lhes interessa. Saber de música, cinema, celebridades, esportes, games e tantos outros assuntos, usando redes sociais, mantendo contato constante com os amigos, isso compete com o que está sendo ensinado na escola.

Neste sentido, as atividades extraclasse, em especial a tarefa ou dever de casa, é algo que se faz mais do que necessário para auxiliar no entendimento, na fixação e no aprofundamento dos saberes apresentados pela escola. É necessário que se diversifiquem as atividades, que se utilizem recursos mais modernos, como as tecnologias e as plataformas gamificadas que acompanham o desenvolvimento dos alunos e observam seus erros e acertos de modo a lhes permitir auxílio em caso de dúvidas ou evolução, se a questão for facilidade em relação ao que estão estudando.

De qualquer modo, é preciso entender o que são as tarefas, inicialmente, para que fique mais claro sua aplicação e necessidade. Então, vamos a esta definição e as características deste instrumento educacional tão importante.

Tarefas são atividades adicionais elaboradas pelos professores ou contidas nos materiais didáticos/paradidáticos utilizados pela escola que são encaminhadas para a resolução em momento posterior as aulas com o intuito de consolidar os conteúdos que constam no currículo educacional e que são trabalhados em sala de aula pelos professores.

Tarefas permitem aos alunos revisar conceitos, aprofundar os estudos, firmar o conhecimento acerca de fórmulas e conteúdos e, principalmente, fazer com que os alunos consolidem os saberes trabalhados em aulas para que os mesmos sejam efetivamente aprendidos.

Para os professores as tarefas significam o prolongamento das ações realizadas em sala de aula com o intuito de firmar, consolidar e reforçar os conteúdos e saberes trabalhados durante a interação pedagógica no espaço escolar.

É preciso que as tarefas sejam realizadas dentro de condições apropriadas, com horários pré-estabelecidos, dando-se o tempo necessário para a realização das mesmas, tendo ao alcance todos os materiais necessários para sua execução, em ambiente tranquilo (arejado, bem iluminado e sem distrações).

Os pais devem acompanhar a realização das tarefas, monitorando seus filhos quanto às atividades diárias enviadas para casa pelos professores, orientando em caso de dúvidas, mas sem assumir o ônus de realizar as tarefas no lugar de seus filhos. O que significa então “orientar em caso de dúvidas”?

Nesta situação os pais auxiliam os filhos na revisão dos conceitos trabalhados em aula, verificando os conceitos, fórmulas e demais saberes apresentados – num esforço real para que tais dúvidas sejam dirimidas e como um preparo para que as tarefas sejam resolvidas.

Caso ainda assim persistam dúvidas quanto às atividades propostas para a tarefa, cabe ao aluno, após tentativa de resolução dos exercícios propostos, anotar em que pontos encontrou dificuldade e, em sala de aula, apresentar tais anotações e dúvidas para o professor.

A parceria entre escola e família como ponto de apoio para a resolução das tarefas escolares é de fundamental importância para que o estudante perceba a dimensão, importância e alcance destas atividades propostas para o momento posterior as suas aulas diárias.

A proposição das tarefas deve sempre estar em sintonia com os conteúdos trabalhados em sala de aula, respeitando o desenvolvimento dos estudantes (portanto adequadas a faixa etária e maturidade dos educandos), sendo proposta em diferentes níveis de dificuldade (para que o aluno não apenas consolide, mas também aprofunde)e, de preferência sendo instigante para quem tem que as realizar.

Fazer tarefa não deve ser encarado ou entendido como sobrecarga ou algum tipo de castigo ou punição. É elemento forte de apoio e consolidação dos conhecimentos em construção no processo de ensino-aprendizagem. Processo este que acontece de forma continuada, dando-se o devido tempo para a reflexão, leitura, compreensão dos saberes e significação de tais conhecimentos em relação ao mundo em que está e vive o estudante. Neste sentido as tarefas escolares tornam-se, portanto, recursos valiosos e prementes para que os estudantes consigam atingir as metas e objetivos propostos para os anos escolares em que estão inseridos e os ciclos nos quais trabalham.


João Luís de Almeida Machado

João Luís de Almeida Machado

Consultor em Educação e Inovação, Doutor e Mestre em Educação, historiador, pesquisador e escritor.

Ver artigos

Avalie esse artigo


Assine nossa Newsletter