Neurociência na Educação Infantil o que é e como aplicar

O que é neurociência e por que ela é importante na educação infantil? Veja dicas de como usar as informações para ensinar melhor.


Neurociência na Educação Infantil o que é e como aplicar

O que faz com que um aluno aprenda? Provavelmente você já pensou em metodologias de ensino, estímulo dentro de casa, entre outros, não é? No entanto, há também algo não tão palpável, que é o que acontece no organismo para que a aprendizagem aconteça. Esse é um dos pontos estudados pela neurociência.

E saiba que muitas das novas metodologias são criadas levando em consideração o que é descoberto pela neurociência. Afinal, quando é possível entender como a aprendizagem acontece, também se torna viável compreender o que estimula o cérebro para arquivar as informações.

Dessa forma, novas metodologias podem ser criadas, visando sempre melhorar o sistema de aprendizagem e aquisição de conhecimento por parte do estudante. Saiba mais sobre a neurociência e suas aplicações na educação infantil.

 

O que é neurociência?

Como o próprio nome sugere, neurociência é a área da ciência que é voltada ao estudo e compreensão do sistema nervoso. A busca é por descobrir como ele funciona, o que faz com que se altere, o que instiga a formação de novas sinapses, entre outros.

Assim, podemos dizer que a neurociência é um estudo muito complexo, que envolve os nervos periféricos, a medula espinhal e o cérebro. E esse sistema atua diretamente em todas as funções do corpo, tanto as ações voluntárias quanto as involuntárias. Como são muitas as áreas de estudo, a neurociência é dividida em diversas áreas como, por exemplo:

  • Neuroanatomia: voltada para conhecer e entender as estruturas do sistema nervoso;
  • Neuropsicologia: busca a entender a ligação e atuação dos nervos e das áreas psíquicas;
  • Neurociência cognitiva: estuda como o sistema nervoso é alterado e atua durante o processo de aprendizagem, raciocínio, memória, entre outros. É voltada para o entendimento do desenvolvimento da capacidade cognitiva, na qual está envolvida a aprendizagem.

Em suma, a neurociência estuda o que acontece no cérebro, nervos e medula buscando compreender os processos envolvidos em, por exemplo:

  • sentidos do corpo;
  • ações inconscientes;
  • emoções;
  • memória;
  • inteligência;
  • desenvolvimento;
  • doenças e transtornos mentais.

 

A neurociência na educação infantil

Embora ainda haja muito a ser estudado na neurociência, é fato que tudo o que já foi descoberto, ajuda a definir que a primeira infância é uma parte importante no desenvolvimento humano. É como se os primeiros anos de vida dos pequenos fossem totalmente abertos para absorver o que há de novo e interiorizar novas percepções.

É nessa fase também que a criança está pronta e precisa desenvolver habilidades. Por isso, é de suma importância falar de neurociência na educação infantil. Afinal, nesse momento, o cérebro está pronto para fazer novas sinapses, com muita eficiência. Essas, por sua vez, são resultado dos estímulos vindos do meio no qual a criança está inserida e permitem que o indivíduo desenvolva:

  • o aprendizado;
  • o raciocínio;
  • as habilidades.

Como o cérebro está completamente aberto para aprender nessa fase, é importante que ele seja estimulado de forma eficiente e na quantidade adequada. Quando nem a família, nem a escola estão preparadas para isso, a criança acaba perdendo a maior janela de absorção de conhecimento que terá em toda a sua vida.

 

Como aproveitar essa fase na educação infantil

  • Faça atividades que agucem os sentidos: ofereça objetos com texturas diferentes, mostre novos sons, deixe que a criança toque nos alimentos, a exponha a novos odores;
  • Música: apresente novas músicas e ensine as crianças a cantarem. Aproveite para ensaiar coreografias e desenvolver a coordenação motora;
  • Retome o conteúdo: pergunte se as crianças entenderam o que você acabou de ensinar. Depois, peça para que elas contem, com as palavras delas, o que foi dito. Isso serve para estimulá-las a pensar, recordar e formar as próprias frases;
  • Desperte a curiosidade: leve questionamentos novos para que a criança comece a se interessar por descobertas. Por que o céu é azul? Por que os peixes conseguem viver embaixo d’água? Ajude o aluno a pesquisar e esteja pronto para orientá-lo nessa busca.

Além disso, é preciso permitir que a criança faça parte desse processo de aprendizagem e interaja com tudo. Afinal, quanto mais informações e sensações novas ela adquirir, mais sinapses vai criar.

Aproveite essa etapa da vida para ajudá-la a armazenar informações importantes e a desenvolver habilidades essenciais para se tornar um adulto de sucesso! Nesse processo de ensino, a gamificação poderá colaborar. Veja como funciona!


Portal Planneta Educação

Portal Planneta Educação

Ver artigos

Avalie esse artigo


Assine nossa Newsletter
AVISO DE COOKIES
Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, para permitir o funcionamento adequado deste site, bem como cookies de personalização, análise, publicidade e criação de perfis com base nos hábitos de navegação do usuário. Mais detalhes podem ser acessados em nossa Política de Privacidade.
Continue navegando para aceitar os cookies.
CONTINUAR