O papel dos professores no combate à evasão escolar

O combate à evasão escolar se tornou ainda mais importante, visto que o distanciamento social pode servir como fator desmotivador.


O papel dos professores no combate à evasão escolar

O ano de 2020 trouxe uma série de mudanças sociais, que fizeram com que a preocupação com o combate à evasão escolar se tornasse ainda maior. Afinal, as escolas estão vazias e os lares lotados. Agora, os pequenos estudam em casa, assistem aulas em telas e pouco falam com os colegas. 

Tudo isso acaba influenciando diretamente na permanência desses alunos na escola. Embora, muitas vezes, os mais novos sejam matriculados pelos pais, também é comum que discentes na adolescência deixem o estudo. Afinal, o que já não era tão simples, para muitos, passou a ser ainda mais complicado. 

Enquanto alguns estudantes têm acesso a um computador, internet e demais ferramentas, outros têm dificuldade até para ter energia e uma alimentação adequada em casa. Como motivar esses discentes a permanecerem participativos e evitar o abandono, ou seja, a evasão escolar? 

Embora essa deva ser uma preocupação da escola como um todo, é o professor quem consegue se aproximar de muitos dos alunos e mantê-los na escola. Conheça o papel do docente nesse processo. 

 

Combate à evasão é uma preocupação antiga 

Mesmo que a preocupação com o combate à evasão escolar tenha se intensificado durante a pandemia, ela não é algo recente. Afinal, os números revelam que o Brasil sofre com esse problema há muito tempo. 

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) de 2019, por exemplo, indicou que mais da metade (52%) das pessoas que têm mais de 25 anos de idade não terminaram o ensino básico, ou seja, evadiram. Além disso, ainda existem aproximadamente 11 milhões de pessoas, com mais de 15 anos, que são analfabetas.

Com a pandemia e a adoção do ensino a distância, a preocupação é de que esses números aumentem muito. Isso, principalmente na passagem do ensino fundamental para o ensino médio, quando o abandono tende a crescer. 

 

Como o professor ajuda no combate à evasão escolar

O professor é considerado como participante da linha de frente no combate à evasão. Afinal, é ele quem está com o aluno e também é esse profissional o primeiro a notar quando um discente começa a faltar muito. 

Contudo, enquanto antes a ausência na escola era sinal de alerta, agora, com a pandemia, essa mudança não pode ser observada. Afinal, o conteúdo é a distância. É por isso que muitos docentes estão tendo um olhar ainda mais individualizado em relação aos estudantes.

A ausência nos encontros virtuais já serve como alerta. No entanto, além disso, a não entrega das atividades propostas também vem servindo como indicador de que algo não está certo com aquele estudante. É hora de agir.

Claro que essa é uma preocupação que deve ser assumida pela escola. No entanto, o docente passa a ter um papel fundamental no combate à evasão escolar, por ter mais proximidade com o aluno.

Por isso, alguns colégios estão adotando o apadrinhamento. Em suma, funciona da seguinte forma: a lista de possíveis evadidos é feita. Os professores são reunidos e cada um deles apadrinha 5 ou 6, para acompanhar mais de perto. 

Depois disso, semanalmente os professores se reúnem, virtualmente, para compartilhar os nomes dos estudantes que não interagiram ou não entregaram a tarefa. Dias depois, o professor padrinho entra em contato com a família, para saber o que está acontecendo e buscar uma solução. 

Com isso, além de cobrar um posicionamento familiar, mesmo que de forma sutil, o estudante acaba se sentindo valorizado. Afinal, o professor buscou por ele e mostrou como é importante a interação dele com os demais. 

Esse acompanhamento só é possível graças ao trabalho do professor. Afinal, é ele que está perto, conhece o estudante e pode “buscá-lo”. 

 

Contato com a família

Além dessa atenção especial, é preciso considerar também o contato com a família. Essa proximidade se faz essencial no combate à evasão escolar e, mais uma vez, quem tem feito isso é o professor. 

Telefone, chat e outros meios de comunicação estão sendo usados, tanto para orientar os responsáveis pela criança, quanto para sanar possíveis dúvidas. 

No geral, as pessoas estão precisando ser escutadas e acolhidas. Quando encontram isso na escola, unem forças e ajudam no combate à evasão escolar. 

As aulas atrativas e acessíveis também são essenciais. Veja dicas para a educação de jovens e adultos durante a pandemia.

Gostou desse artigo? Pesquise outros temas no Portal Planneta Educação e tire mais dúvidas!

Aproveite e confira todos os Materiais Educativos Exclusivos desenvolvidos pela nossa equipe!


Portal Planneta Educação

Portal Planneta Educação

Ver artigos

Avalie esse artigo


Assine nossa Newsletter
AVISO DE COOKIES
Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, para permitir o funcionamento adequado deste site, bem como cookies de personalização, análise, publicidade e criação de perfis com base nos hábitos de navegação do usuário. Mais detalhes podem ser acessados em nossa Política de Privacidade.
Continue navegando para aceitar os cookies.
CONTINUAR