Diferenças entre recuperação, reforço e recomposição de aprendizagens

Quais são as diferenças entre recuperação, reforço e recomposição de aprendizagens? Confira!


Diferenca-entre-recuperacao-reforco-e-recomposicao-de-aprendizagens

A recuperação escolar faz parte da rotina de alunos e professores. Afinal, sempre há alunos que não conseguem atingir uma nota ou outra em alguma disciplina. Para eles, é dada a possibilidade de recuperar esse desempenho aquém do esperado, ao fazer uma nova avaliação.

Embora a recuperação seja popular e conhecida até pelos familiares dos alunos, a palavra é frequentemente confundida. Alguns, pensam que é a mesma coisa de recomposição de aprendizagem ou até de reforço escolar.

Mas, na prática, recuperação, reforço e recomposição de aprendizagens são três coisas bastante diferentes. Cada uma delas tem um objetivo e uma maneira de ser conduzida.

Quer saber mais? Então descubra o que são recuperação, reforço e recomposição de aprendizagens e veja quando são usados!

Baixe grátis: Currículo Escolar: como elaborá-lo e adaptá-lo à BNCC?

 

O que é recuperação?

A recuperação é a retomada de uma habilidade e/ou conteúdo, que não foram bem assimilados por um ou mais alunos. Assim, normalmente, ela é realizada no final do semestre ou do ano letivo.

Porém, embora ela seja muito aplicada, não é tida como a escolha mais adequada para melhorar o processo de ensino e aprendizagem. Afinal, todo o conteúdo acaba sendo abordado rapidamente e o aluno se vê envolvido em uma infinidade de itens para serem estudados.

Se ele não conseguiu absorver esse conhecimento durante um ano todo, será que vai conseguir em apenas uma ou duas semanas? É difícil que isso aconteça, não é? Por isso, o indicado é que as dificuldades sejam trabalhadas ao longo do ano e não apenas na recuperação.

Veja também: 5 maneiras de trabalhar as competências socioemocionais!

 

O que é reforço escolar?

Diferentemente da recuperação, que é realizada só no final do ano ou do semestre, o reforço é realizado durante todo o ano. Trata-se de um aprofundamento do conteúdo para estudantes que estejam com um pouco mais de dificuldade para desenvolver as habilidades e absorver o conteúdo.

No geral, ele é realizado no contraturno, ou seja, no período em que o estudante não está em aula regular. Por exemplo, para discentes que têm aula durante a manhã, as aulas de reforço podem ser ofertadas à tarde e vice-versa.

Mas é importante ficar atento na hora de ministrar aulas no reforço escolar. Afinal, se a metodologia usada durante a aula regular não resultou no efeito esperado, é preciso inovar. O uso de metodologias ativas, por exemplo, pode ser um caminho. O importante é não repetir estratégias já usadas na aula.

Outro ponto importante é que o reforço não deve ser encarado como uma punição. Ele é uma maneira de contribuir com o processo de ensino e aprendizagem e deve estar disponível para todos os estudantes.

Baixe grátis: Planejamento escolar: o que não pode faltar?

 

O que é recomposição de aprendizagem?

A recuperação e o reforço escolar são usados há muito tempo. Já a recomposição de aprendizagem é algo novo, que surgiu devido às mudanças impostas pela pandemia. O principal objetivo é acelerar o processo de ensino e aprendizagem, considerando que há entre os discentes, indivíduos com diferentes níveis de aprendizagens.

Para realizá-la, é preciso usar estratégias diferenciadas em sala de aula. Mas é claro que só isso não será suficiente. Assim, a recomposição de aprendizagem envolve também:

  • Acolhimento;
  • Adaptação curricular;
  • Avaliação diagnóstica contínua;
  • Adaptação das práticas pedagógicas;
  • Material didático adequado;
  • Estratégias avaliativas;
  • Formação de professores;
  • Acesso a materiais didáticos adequados, entre outros.

Resumidamente, a recomposição de aprendizagem é uma resposta à pandemia. Ela considera que cada aluno teve acesso, de uma forma, ao conteúdo. Por isso, nem todos puderam atingir o mesmo nível de conhecimento. Assim, a escola terá que trabalhar para nivelar os estudantes em relação ao conteúdo. A recomposição de aprendizagem e busca usar estratégias que ajudem isso a se tornar viável.

Veja também: Volta às aulas presenciais: dicas e estratégias para educadores!

 

Quando usar cada uma delas?

Embora a recuperação seja algo frequente e que acompanha o histórico da educação, ela não deve ser a que ganha mais ênfase. Afinal, o mais adequado é que o aluno seja acompanhado durante o ano todo e receba o suporte necessário para desenvolver habilidades e adquirir conhecimento. Assim, o oferecimento de reforço escolar acaba sendo uma ótima escolha para a rotina da instituição.

Mas, é claro, que em momentos como o atual, no qual há uma busca por nivelar o conhecimento entre os estudantes, a recomposição de aprendizagem se destaca. Ela é praticamente indispensável em épocas como a atual. No entanto, é válido ressaltar que nada impede que a recomposição de aprendizagem e o reforço escolar caminhem juntos ao longo do ano.

E na sua escola, como essa retomada está sendo tratada? Conte para a gente nos comentários e aproveite para conhecer três estratégias para aumentar a retenção de alunos em sua escola!

Acesse o Portal Planneta Educação e garanta hoje todos os nossos Materiais Educativos Gratuitamente!


Portal Planneta Educação

Portal Planneta Educação

Ver artigos

Avalie esse artigo


Assine nossa Newsletter
AVISO DE COOKIES
Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, para permitir o funcionamento adequado deste site, bem como cookies de personalização, análise, publicidade e criação de perfis com base nos hábitos de navegação do usuário. Mais detalhes podem ser acessados em nossa Política de Privacidade.
Continue navegando para aceitar os cookies.
CONTINUAR